2012

grabados | exposición ‘de arena y sal’ | galeria CPS · Lisboa

 

2012 · de arena y sal

 

O tempo, o espaço e o silêncio que pauta os seus ritmos têm inspirado a artista que passou em 2003 por uma expressão geometrizante em soberbos jogos de luz com velaturas. Na atual exposição de gravuras que preservam a frescura de um original, explora de um modo muito livre o espacialismo poético que tem vindo a tornar-se a marca do seu estilo. Contrastes suaves de cores que despertam ressonâncias dos vários elementos da natureza, transparências, associam-se aqui ao espaço marítimo da areia e do sal que dá o título à mostra. Paisagismo anímico, onírico e cósmico que plenamente revela a paixão da artista pela cor e a mestria no seu domínio. Domínio da cor, da sua luz, dos seus fluidos em palpitantes jorros de ouro emaranhados no subtil novelo dos azuis esmeralda, dos verdes submarinos, dos ocres, dos cinzas e dos lilases que parecem brotar diretamente da intimidade de uma natureza encantada.

Saskia Moro oferece-nos neste seu recente e magnífico conjunto de gravuras, imagens da areia, da água e da luz, imbuídas de uma doçura e de uma suavidade que nos surgem na sua expressão de uma virginal pureza cósmica, como a própria respiração da poesía.

Maria João Fernandes

A.I.C.A. Associação Internacional de Críticos de Arte